roteiro bonito agência de turismo em bonito

Dados do Ecoturismo no Brasil: Mercado e as Perspectivas

O ecoturismo, também conhecido como turismo ecológico ou turismo de natureza apresenta diversas definições, desde viajar para destinos repletos de natureza, até a simples contemplação de monumentos naturais. Assim, o ecoturismo no Brasil vem crescendo consideravelmente, atraindo cada vez mais adeptos.

A definição mais aceita de ecoturismo no Brasil é a do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), também utilizada pelo Ministério do Turismo, em que afirma:

O ecoturismo é um segmento da atividade turística que utiliza de forma sustentável o patrimônio natural, cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações envolvidas. [1]

Em resumo

  • O mercado de ecoturismo no Brasil cresce 30% ao ano, enquanto apenas 8% ao ano no resto do mundo;
  • A estimativa de movimentação financeira global no segmento é de 333,8 bilhões de dólares até 2027.
  • Aproximadamente 10 mil empresas brasileiras são dedicadas ao segmento de ecoturismo.
  • Durante o período de pandemia da COVID-19, o segmento de ecoturismo cresceu 20% mundialmente (enquanto apenas 7,5% do turismo “convencional”).
  • Aproximadamente 1 milhão de brasileiros optam pelo ecoturismo, gerando um faturamento de cerca de 70 milhões de dólares.
  • Nos últimos 3 anos, 19 milhões de turistas vieram ao Brasil. Destes, 20% optaram por cenários paradisíacos, riscos em fauna e flora.

📸 Por que o ecoturismo no Brasil cresce?

Quando se diz que o ecoturismo no Brasil cresce cada dia mais, há várias razões para isso.

Para começar, as pessoas buscam, no ecoturismo, sair de rotinas estressantes dos grandes centros urbanos, somando ao descanso atividades de relaxamento, diversão, recreação e aventura, por exemplo.

Muitas das atividades ligadas ao ecoturismo tem relação direta com a natureza. Além disso, diversas atividades são indicadas para as mais diversas faixas etárias.

Como o Brasil é um país de dimensões continentais e com vasta natureza, não é de se espantar que o país é um dos principais destinos do ecoturismo no mundo. De fato, o crescimento do ecoturismo no Brasil é na ordem de 30%, enquanto no resto do mundo, o ecoturismo cresce a 8% ao ano. [2]

Mas não é só no Brasil que o ecoturismo está em alta. Segundo o site Statista.com, estima-se que o ecoturismo movimente 333,8 bilhões de dólares até 2027. Em 2019, esse mercado movimentou 181,1 bilhões de dólares. [3]

Vamos ver mais dados sobre o ecoturismo no Brasil.

🧑‍💻 Dados do ecoturismo no Brasil

Foram consultados diversos artigos e publicações para o levantamento desses dados sobre o ecoturismo no Brasil.

Afinal, o ecoturismo favorece a economia, visto que mais de 10 mil empresas brasileiras dedicam-se a esse setor [2].

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o avanço do turismo regular do mundo, no período pré-pandemia, atingia 7,5% ao ano. Já o ecoturismo cresceu, no mesmo período, 20%.

No Brasil, aproximadamente um milhão de viajantes optam pelo ecoturismo, resultando em um faturamento de cerca de 70 milhões de dólares. [2] .

O Brasil foi o destino escolhido por 19 milhões de viajantes nos últimos três anos, conforme o Ministério do Turismo [4]. E desses 19 milhões de turistas que escolheram o Brasil como seu destino de viagem, 18,6% optaram pelo ecoturismo.

Ou seja, quase 20% de todos os turistas que o Brasil recebe escolhem cenários paradisíacos, com fauna e flora rica e singular, que somente um país com tamanha biodiversidade como o Brasil, possui.

O impacto da pandemia no ecoturismo no Brasil

Com a pandemia do coronavírus, as fronteiras foram fechadas e viagens tornaram-se escassas, afetando fortemente o turismo de maneira global. Mas, com isso, à medida que as viagens foram sendo retomadas, muitos turistas começaram a optar por viagens em âmbito nacional.

De fato, não só o medo de se contaminar com a COVID-19 que fez com que os turistas brasileiros deixassem de lado as viagens internacionais, quando a retomada começou. Os preços das passagens  também assustou, com aumento de quase 70% em um ano, dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) [5].

Além disso, após um longo período com estadia prolongada dentro de suas casas, muitos turistas anseiam por um contato maior com a natureza e atividades ao ar livre. Por isso, o ecoturismo ganhou mais adeptos.

🤩 Principais destinos de ecoturismo no Brasil

O Brasil conta com diversos cenários propícios para o ecoturismo. Podemos destacar os seguintes destinos:

Bonito – Mato Grosso do Sul

Conhecida como a capital do ecoturismo no Brasil, a cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul recebe milhares de turistas durante o ano.

Segundo o Observatório do Turismo e Eventos de Bonito, Bonito recebeu 205.460 turistas em 2021 e 145.219 em 2020. Ou seja, um aumento de 41,48% no período de um ano. [6] Vale lembrar que 2020 foi fortemente afetado pela pandemia.

Além disso, Bonito sofreu o impacto da pandemia no ano de 2020, com a atividade turística na região sendo suspensa nos meses de abril, maio e junho de 2020.

A Gruta do Lago Azul, considerada uma das mais belas regiões e cartão-postal de Bonito, ficou fechada de 18 de março de 2020 a 17 de março de 2021. Com a vacinação, as atrações retornaram ao normal.

Os turistas nacionais que visitaram Bonito em 2021 são divididos entre turistas vindo do Mato Grosso do Sul (cerca de 35%), São Paulo (20%), Paraná (10%), Rio de Janeiro (8%), Santa Catarina (6%), Rio Grande do Sul (5%) e Minas Gerais (4%). [6]

Mas, essa é também uma região que recebe turistas vindo de outros países, tais como Paraguai (0,62%), Estados Unidos (0,28%), França (0,14%), Bolívia (0,11%), Alemanha (0,10%) e até Japão (0,08%), dentre outros países. [6]

O que não falta, em Bonito, são atrações maravilhosas voltadas ao ecoturismo:

Sul da Amazônia

A Amazônia se estende por 9 estados, mas na região denominada Sul da Amazônia, o turista pode aproveitar todo o esplendor da natureza, inclusive, pela proximidade do Pantanal e também do Cerrado.

Com isso, o turista não encontra a terra alagada como em outras regiões da floresta. Pelo contrário, encontrará muito espaço para caminhadas e trilhas.

Lá, o turista encontra um terço de todas as espécies de aves do Brasil, além de muitas trilhas, passeios de barco e mergulho.

O Sul da Amazônia também abriga a Reserva Particular do Patrimônio Nacional do Cristalino, sendo uma área de preservação da floresta amazônica e centro do ecoturismo sustentável na região.

Essa área é mantida pelo hotel Cristalino Lodge e pela Fundação Cristalino, conservando 12 mil hectares da floresta primária.

Para se ter uma ideia do tamanho, essa reserva representa seis vezes o tamanho do arquipélago de Fernando de Noronha.

Nessa reserva, há dois mirantes de 50 metros de altura, excelente para observação da fauna e dos chamados “rios voadores”, nome dado pela névoa originada pela água da floresta, dando origem a esse fenômeno comum na região.

Jalapão – Tocantins

O cerrado e suas paisagens naturais abrigam cachoeiras, onças-pintadas, formações rochosas e muitas belezas no Jalapão, no estado do Tocantins.

O Parque Estadual do Jalapão fica a 300 km da capital do estado, Palmas, reservando belezas inesquecíveis, como a Cachoeira da Formiga, por exemplo.

Em 2021, o Parque recebeu o recorde de visitantes, segundo dados do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), com 55.579 turistas. O pico aconteceu no mês de julho, com 8.320 turistas. Vale lembrar que ainda existiam algumas restrições quando esse recorde foi registrado, devido à pandemia. [7]

Em 2019, o Parque Estadual do Jalapão recebeu 49.466 turistas, o que representou um aumento de 14,16% em relação a 2018.

A área do Parque Estadual do Jalapão já serviu de cenário para o reality Survivor, dos Estados Unidos e também para a novela O Outro Lado do Paraíso, da Rede Globo.

Chapada dos Guimarães – Mato Grosso

Localizado a uma hora da capital Cuiabá, a Chapada dos Guimarães inclui cavernas, lagos e cachoeiras, além de seus paredões de arenito vermelho, com mais de 150 km de extensão.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), em 2018, mais de 80 mil pessoas visitaram as belas paisagens da Chapada dos Guimarães.

Chapada Diamantina – Bahia

Montanhas, rios e cachoeiras. De fato, a Chapada Diamantina também atrai muitos turistas de todas as regiões do país, para aproveitar o que o ecoturismo da região tem a oferecer.

Em 2019, a região registrou aumento no fluxo de turistas em torno de 14% [8], um valor ainda abaixo da porcentagem esperada para o ecoturismo em todo o Brasil, na ordem de 30%.

Perspectivas para o mercado do ecoturismo no Brasil

Mediante os dados apresentados com o número de turistas nos principais destinos de ecoturismo no Brasil, bem como em relação ao crescimento dessa atividade turística, é de afirmar que a perspectiva para o ecoturismo no Brasil é de crescimento.

À medida que há crescimento de demanda de turistas para as regiões, os investimentos nessas regiões também devem aumentar, trazendo maior conforto para o turista, mas sem abdicar do aspecto de conservação e da natureza em si, visto que são atrações essenciais para essa demanda de turistas.

Os dados mostraram que o mercado do ecoturismo no Brasil cresceu bastante nos últimos anos e em todas as regiões.

Com isso, espera-se oferecer mais opções para os turistas que buscam essas regiões, atentando-se para o fato dos reais objetivos de quem busca o ecoturismo: descanso, refúgio e contato com a natureza em toda sua plenitude!

Perguntas e Respostas

Qual a diferença entre turismo e ecoturismo?

Ecoturismo é o turismo voltado à natureza, em que o patrimônio natural de um ambiente é admirado, incentivando sua conservação e o bem-estar das populações.
Já no turismo convencional, não há uma preocupação com a admiração do patrimônio natural, bem como a preservação do meio ambiente.

Qual a importância do ecoturismo?

O ecoturismo é fundamental para o crescimento e estímulo de regiões com belezas naturais, levando ao crescimento da região, bem como à sua preservação.

Quais municípios brasileiros praticam o ecoturismo?

Há diversos municípios brasileiros praticantes do ecoturismo, como Bonito, no Mato Grosso do Sul e Fernando de Noronha, por exemplo.

Quais os lugares da região centro-oeste que incentivam a prática do ecoturismo?

No Mato Grosso do Sul, está a capital do ecoturismo no Brasil, a cidade de Bonito, a qual abrange diversas atrações para os amantes do ecoturismo. 

Que benefícios o ecoturismo traz para o meio ambiente?

O ecoturismo auxilia na preservação do meio ambiente, pois, as atrações podem receber os turistas, sem haver degradação das espécies de fauna e flora. Com o ecoturismo, há intensificação da consciência ambiental e da necessidade da preservação do meio ambiente. 

Qual o tamanho do mercado de ecoturismo?

O mercado do ecoturismo no Brasil movimentou cerca de 70 milhões de dólares. No mundo, estima-se que o ecoturismo movimente, até 2027, U$ 333,8 bilhões, crescendo em média 8% ao ano. No Brasil, o ecoturismo tem crescimento de 30% ao ano. 

Referências

				
					[1] http://www.unirio.br/turisdata-rj-rj/ecoturismo

[2] https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/ecoturismo.htm

[3] https://www.statista.com/statistics/1221034/ecotourism-market-size-global/#:~:text=The%20ecotourism%20industry%20worldwide%20was,a%20CAGR%20of%2014.3%20percent.

[4] https://viagemegastronomia.cnnbrasil.com.br/noticias/ecoturismo-no-brasil-a-tendencia-que-veio-para-ficar-no-pos-pandemia/?amp

[5] https://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2022/06/06/preco-das-passagens-aereas-aumenta-quase-70percent-em-apenas-um-ano.ghtml

[6] https://correiodoestado.com.br/cidades/numero-de-turistas-em-bonito-cresceu-41-em-um-ano/398599

[7] https://www.to.gov.br/secom/noticias/parque-estadual-do-jalapao-registra-recorde-de-visitas-em-2021/4xvup32os44z#:~:text=Segundo%20dados%20do%20Instituto%20Natureza,menos%20visitado%2C%20com%202.350%20ocorr%C3%AAncias.

[8] https://www.guiachapadadiamantina.com.br/turismo-na-chapada-diamantina-cresce-15-na-alta-temporada/